quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Nova proposta dos lojistas para os comerciários

O presidente do Síndilojas Marco Aurélio Ferreira disse hoje que a entidade ofereceu reajuste 1.8% superior ao INPC do período para os comerciários. O ajuste salarial oferecido para a categoria segundo Ferreira foi de 7.4% enquanto o INPC do período variou para cima 5.8%. O presidente do sindilojas disse que nos seus três anos de gestão os reajustes oferecidos foram sempre acima da inflação e está acima inclusive dos reajustes salariais concedidos a comerciários de Santa Rosa e Santo Ângelo que receberam 5.9 e 6% respectivamente. A partir do reajuste oferecido o salário base dos comerciários passa de 510 para 547 reais por mês. Marco Aurélio Ferreira ressalta que o reajuste ao salário dos comerciários será 30% superior ao INPC do período. O presidente aguarda resposta agora da direção do sindicato dos comerciários.
Será que agora vai?

Um comentário:

  1. Geovane Oliveski Feistel5 de novembro de 2009 04:49

    Olá, meu nome é Geovane, gostaria de comentar mas não referente ao sindilojas, quero aproveitar este espaço para falar da Corsan, pois não entendo o fato para que a população local esta descontente, pois na minha casa sempre tive agua, e quando falta o abastecimento não demora mais do que um turno do dia para que a situação seja normalizada. Sempre me cobram o valor justo da agua, as contas sempre são entregues no prazo e, quando precisei do atendimento da Corsan em sua sede administrativa sempre fui bem recebido. Ademais, para mim estão fazendo um otimo trabalho, a agua chega em minha torneira limpa e otima para o consumo. Não concordo com a municipalização da agua, pois vejo com receio o possivel aumento deste serviço, uma vez que, pelo por exemplo o DEMEI, que na região tem o valor da luz mais cara, podem conferir, tenho amigos que moram em Cruz Alta e Santa Rosa, onde a energia é administrada pela RGE e a luz nestes municipios é bais barata que Ijui, podem conferir, não tem erro. Eu sou contra o DEMEI que é municipalizado assim vejo com receio a questão da municipalização da agua.

    ResponderExcluir